Quem mora junto tem direito a receber herança?

por | out 31, 2022 | Direito de Família | 0 Comentários

[vc_row][vc_column][vc_column_text]Você viveu e se dedicou a uma relação durante anos, mas não chegou a oficializar o casamento nem a união estável com essa pessoa. Na contemporaneidade. lidamos com diversos formatos de relacionamentos, entre eles o de morar junto, que sendo o único fato não configura união estável. Uma das questões que chega ao meu escritório é: “se o meu companheiro falecer, como eu fico?”. Bom, vamos entender melhor como o seu direito pode ser resguardado? Me acompanhe neste artigo.

Primeiramente vou explicar que para se configurar a união estável, alguns requisitos devem estar presentes como: convivência pública, contínua e duradoura, com objetivo de constituir família. De forma simples, você pode responder às seguintes perguntas para saber se estava em uma união estável: vivam como marido e mulher? Se comportavam assim perante a sociedade? Era de conhecimento de todos a união? Se a resposta a elas for sim, provavelmente você vivia uma união estável não formalizada.

Nesse caso, se um dos dois vier a falecer, para que o companheiro sobrevivente tenha direito sobre a herança, será necessário ingressar com a ação de reconhecimento de união estável mesmo após a morte, para comprovar a sua existência. Para provar a união estável em caso de falecimento, você precisará de um advogado para entrar com o processo. Dessa forma, deverá ser explicado detalhes da relação como: quanto tempo durou a união estável, se vocês compraram bens durante a união estável, se resultou no nascimento de filhos, entre outras informações. A ação de reconhecimento da união estável é feita contra os herdeiros do seu companheiro falecido, são eles que vão responder à ação.

Vale ressaltar que a união estável garante os mesmos direitos que o casamento. Reconhecida a união pelo judiciário, o regime de bens adotado de forma automática é o da comunhão parcial de bens, caso não tenha sido escolhido um regime diferente pelo casal. Isso significa que você terá direito de receber metade dos bens adquiridos durante o período em que viveu o relacionamento.

Se o seu companheiro deixou bens adquiridos antes do início da união entre vocês, você será considerada herdeira, e terá que partilhar igualmente com os filhos que ele deixou. Além dos direitos de herança, a união estável também pode te dar o direito de recebimento da pensão por morte no INSS. Portanto, caso haja o reconhecimento de união estável em caso de falecimento, você terá os mesmos direitos de uma pessoa que foi casada.

É importante saber que a união estável após a morte do companheiro pode ser feita juntamente com o inventário, caso todos os herdeiros estejam de acordo. Porém, se não houver acordo, será reservado o quinhão do companheiro no inventário até a finalização da ação de reconhecimento da união estável, seguindo normalmente o andamento do inventário, que é obrigatório também nesse caso.

Qual a mensagem final que deixo para vocês, meus leitores? Que opte sempre por regularizar esse “morar junto” para não ter dor de cabeça em casos como esse que vierem a acontecer. Deixe seu comentário aqui em caso de dúvidas que terei prazer em responder.[/vc_column_text][/vc_column][/vc_row]

Como posso alterar o regime de bens do meu casamento?

Quando um casal apaixonado resolve firmar o compromisso do casamento, nem sempre estão preocupados com a questão do regime de bens que irá escolher para regular as relações patrimoniais. Alguns acabam por aderir ao regime usual que é a comunhão parcial de bens e pode...

Como requerer pensão alimentícia após união estável?

Você terminou sua relação de união estável e não tem como se manter sozinha? Está preocupada onde vai morar e suprir suas necessidades básicas? Bem, a união estável é equiparada ao casamento, já não se discute mais se uma ex-companheira tem os mesmos direitos que uma...

Como fazer o planejamento familiar?

Ter filhos é uma decisão muito séria e envolve comprometimento dos genitores para o resto da vida com suas crianças. Poder realizar o planejamento familiar é de extrema importância para a saúde física, psíquica e financeira. A escolha de cessar a procriação implica...

O pai deve autorizar fotos do filho em redes sociais?

Quem não gosta de postar fotos dos seus filhos na rede social? Compartilhar o crescimento dos rebentos, a primeira risada, os primeiros passos, os passeios e todos os gestos fofos das nossas crianças. A geração atual vive conectada e aprendemos a nos relacionar...

O pai não foi encontrado para autorizar a viagem do menor ao exterior?

A legislação brasileira exige a autorização de ambos os pais para que o filho menor possa sair do Brasil ainda que a lazer.Tivemos está semana pela mídia, a situação de uma mãe que procurou ajuda alegando que o pai teria se deslocado ilegalmente com o filho para o...

Você sabia que pode ser indenizada quando o ex-cônjuge dificulta o processo de divórcio?

Você já pensou em desistir do processo por exaustão porque seu ex faz tudo pra atrapalhar o curso da ação? Pois bem, sabia que pode estar sofrendo uma forma de abuso em seu processo judicial? O nome da prática é a litigância abusiva que normalmente tem como vítimas as...

Guarda compartilhada: quais os direitos das famílias que tem mais de um pai e uma mãe?

Aquela imagem de família que vem à cabeça composta por pai, mãe e filhos, tem que ser atualizada. Quando pensamos em família logo imaginamos dessa forma. Mas hoje em dia, as famílias têm as mais diversas configurações, por exemplo, duas mães, dois pais, uma mãe e dois...

Divorciar pela Internet em 2023?

Praticidade, evita aborrecimentos, menos oneroso e mais rápido. Você sabia que seu divórcio pode ser realizado pela internet? Você imagina que existe aquela série de burocracias em meio a um processo doloroso e de conflitos. Pois bem, tudo isso pode ser amenizado por...

Saiba como calcular uma pensão alimentícia justa para seu filho

[vc_row][vc_column][vc_column_text]Está preocupada porque não sabe o que deve entrar no cálculo da pensão alimentícia do seu filho? Este artigo então foi feito para você. É preciso realmente colocar todos os custos da criança, caso contrário você acaba pagando sozinha...

Multiparentalidade: conceito, famílias plurais e o seu reconhecimento jurídico

[vc_row][vc_column][vc_column_text]Olá meus seguidores, custei a guardar o segredo, mas agora sim, posso revelar. A cada ano meu blog vem crescendo e sou muito grata a vocês por tanto carinho e interação com meus textos. Para começar 2023, quero retribuir todo este...

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *