Advocacia

Ele ameaça de tomar a guarda do filho?

“Se você fizer isso vou tirar nosso filho de você” ou “Você vai se arrepender se fizer isso”. Escuto tantos relatos assim no meu dia a dia no escritório de advocacia. Acredito que você já tenha experienciado de alguma forma essa questão, talvez já tenham falado isso para você ou já ouviu essa queixa de alguém. É a chantagem emocional que infelizmente alguns genitores a usam para criar um sentimento de medo e controlar a situação. Infelizmente, tem mães ou pais que precisam lidar com essas ameaças diariamente. Elas são formas de violência psicológica, saiba como reconhecer e lidar com os chantagistas emocionais.

Pode perceber que um chantagista vai no seu ponto fraco, como a questão da perda da guarda de um filho por exemplo. Mas além da ameaça para causar medo, há outra estratégia que é se fazer de vítima para sensibilizar o outro por meio do choro ou da pena. Para saber se você tem um chantagista na sua cola, avalie o seguinte contexto: você se sente manipulado? Ou sente que faz muitas coisas que não gostaria? Este é um primeiro sinal. Depois, procure analisar situações específicas, comportamentos recorrentes da pessoa e frases repetidas com frequência. Então, responda: elas podem ser descritas como chantagem emocional?

Veja alguns tipos de chantagens emocionais:
– Relações afetivas compensatórias: A ideia de “dívida” é percebida aqui. As relações podem ser sentidas como desproporcionais, pesando apenas um lado da balança. Aqui se faz uso de tipos de recompensas para chegar a um desejo de interesse.
– Punições: elas ocorrem com os comportamentos ameaçadores do tipo: “Se você não fizer assim, não falo mais com você”. A punição traz a ideia de culpa, no sentido de responsabilizar a pessoa por suas próprias ações.
– Vitimizações: é comum que haja a indução da culpa no outro, em tom de ameaça. O registro utilizado é muitas vezes o apelativo e o teatral, que rapidamente se desvanece assim que as necessidades são satisfeitas. Também é comum que haja distorções dos fatos, ou seja, quando o manipulador reage de forma a confundir a vítima.

O artigo 7º da Lei Maria da Penha já contempla a violência psicológica como uma das formas de violência doméstica e familiar. No caso do dano emocional causado à mulher, a Lei 14.188/2021 inseriu o crime de violência psicológica, desde que o dano prejudique ou perturbe o seu desenvolvimento mental; degrade ou controle as suas ações, comportamentos, crenças e/ou decisões.

A chantagem emocional é uma violência psicológica que não atinge só os genitores, mas também às crianças. Ela pode se configurar como uma alienação parental. De acordo com o IBDFAM, cerca de 80% de filhos de pais separados sofrem com essa agressão. A lei nº 12.318 estabelece como crime o ato de alienação parental, que é a prática de construir na criança uma imagem negativa da mãe, do pai ou responsável, fazendo-a odiar essa pessoa.

Há forma de denunciar as chantagens emocionais configuradas como violência psicológica. Se você perceber que é vítima dessas agressões, procure profissionais que possam te ajudar a sair dessas situações. Você quer saber como lidar com a chantagem emocional? Acesse minhas redes sociais @daniellesantosadvogada.

Related Posts

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.